Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2019

Tu consegues | Eu consigo

Via: Às nove no meu blog
Sabem que trabalho no aeroporto. Sabem que lá estou há cerca de ano e meio. Sabem que faço duas companhias aéreas dedicadas para além da principal companhia aérea portuguesa, entre outras (muitas outras; sei os seus procedimentos e regras). Sabem que trabalho por turnos e que me levanto na maioria das vezes de madrugada enquanto toda a gente está a dormir. Sabem que tenho sempre um sorriso pronto a iluminar o meu rosto e saberão a partir de agora que subi de posto. Ou seja, não fui aumentada, não subi de escalão, não passei a efetiva. Mas de tudo aquilo que fazia, tenho agora uma responsabilidade acrescida: responsável por portas de embarque. Ou seja, eu sou aquela chata que vos pede o boarding pass e a vossa identificação assim que vocês estão prestes a entrar dentro de um avião que vos levará ao vosso destino. Sou eu que chamo os autocarros que vos levam ao avião, sou eu que comunico com o colega que está na placa (junto ao avião), sou eu que vejo se a limpez…

Passagem de Peões

Indicação da aproximação de uma passagem de peões

Tantas e tantas vezes páro na passadeira à espera que os condutores me cedam a passagem e nada. Continuam a acelerar e nada de me deixarem a travessar a rua. Onde tiram a carta estas pessoas? Onde está a cidadania? É com estas atitudes que fico assustada com o rumo da civilização. Não noto entreajuda, não noto bom censo, não noto qualquer tipo de interesse em agilizar situações. Noto cada vez mais agressividade, má vontade e antipatia. Neste caso em particular das passadeiras, qual será o intuito de não deixar passar os peões para daí a uns metros terem uma qualquer interceção ou um cruzamento ou até mesmo semáforos e terem que parar forçadamente? Ganham algo com toda esta pressa? Vamos pôs a mão na consciência, sim? E conduzir com mais civismo, por favor.

Mowgli - Entre Dois Mundos

O Livro da Selva faz parte da nossa infância e por isso já conhecemos bem a história: Mogli é criado por lobos na floresta. Simples assim. Temos o tigre Shere Kan, o mauzão da fita que quer matar e comer Mogli. Não achei o filme nada de extraordinário, até fiquei com a ideia de que lhe falta algum ritmo e por isso é assim meio bleh.

O Tempo entre Costuras | Maria Dueñas

"Eu era o seu céu e as suas estrelas, a mais bonita, a melhor. O meu cabelo, a minha cara, os meus olhos. Toda eu configurava para ele a fonte da sua alegria. Eu escutava-o, chamava-lhe tolo e deixava-me querer"
Sira começa a sua história com o avido de que foi uma máquina de escrever que alterou o rumo da sua vida. E de facto assim foi. Sira é modista e em "O Tempo entre Costuras" vai desfiando a sua vida como espia em Marrocos, Madrid e até Lisboa. Correu perigo sim mas rapidamente percebeu o poder que tinha enquanto profissional e mulher. E isso vale tudo. Maria Dueñas, a autora, soube estruturar muito bem a sua história e por isso mesmo esta obra encantou tanta e tanta gente, tornando-se num best-seller em pouco tempo. Tanto teve sucesso que já foi adaptado para uma série televisiva.
"Cedeu-me a passagem e, ao fazê-lo, a palma da sua mão acomodou-se à minha cintura como se tivesse levado a vida inteira à espera dela"

Seis hábitos que nos tornam mais felizes

Não é uma verdade absoluta mas ao ler um artigo sobre seis hábitos que duram cinco minutos e que nos podem fazer mais felizes, as minhas antenas da curiosidade levantaram e prestei atenção. Replico aqui estes seis pontos: Ouvir música A música pode aumentar a atividade cerebral, nomeadamente a dopamina, associada ao prazer e à motivação. Respirar profundamente Esta técnica respiratória pode aliviar algum stress- Meditação Todos sabemos que a meditação nos ajuda a tranquilizar corpo e mente. Não custa nada experimentar meditar no início de cada dia. Sentir gratidão Sentirmo-nos agradecidos ajuda a levar uma vida mais plena. Construir o bem-estar Sermos positivos não é de todo impossível. Refletir e agradecer pequenos momentos traz-nos felicidade. Sentir confiança Permitirmo-nos sentir que somos poderosos conduz à motivação e autoconfiança. Devemos ser confiantes. confiar de que tudo correrá bem é meio caminho andado para que as coisas correm pelo melhor. Sermos positivos na vida, e sempre de sor…

Be healthy

Não bebo café, porque não me habituei a isso. Gosto do seu cheiro mas não aprecio especialmente o sabor. Não preciso de café para despertar. Tenho por hábito beber leite com chocolate ou Nestum. Não fumo, não bebo álcool. Tento atualmente comer coisas saudáveis. Bebo mais água, como muito mais sopa. No entanto, tendo a vingar-me nos chocolates. Criei o péssimo hábito de comer chocolate todos os dias. Se bem que pesquiso na internet os benefícios de comer chocolate diariamente e os pseudo-especialistas dizem que melhora o fluxo arterial, causa boa-disposição, reduz o risco de riscos no coração, alivia dores.. E eu vou acreditando.

Adeus Natal

Ontem foi Dia de Reis, e com ele desfazem-se árvores de Natal, retiram-se as luzes e todas as decoracões. Termina a época dos doces em exagero e dizemos também adeus às músicas natalícias.
Ontem não toquei em nada porque queria gozar esta época até à última oportunidade mas hoje acordei com uma vontade férrea de reorganizar a minha casa.  E assim foi.
Foi rápida a arrumação  e ver a casa toda limpa e organizada conferiu-lhe um ar fresco.
No final do ano há mais!

O meu nome num livro

Há umas semanas, pediram-me para escrever o prefácio de um livro. Não me saiu nada, nem me esforcei em frente do Word. Hoje quando abri a minha conta de email recebi o ultimato. Faltava o meu prefácio e assim que eu o enviasse, o livro seria enviado para a edição. Fui terminar de fazer o arroz que tinha ao lume, abri o Word e as palavras jorraram. Escrevi o que me haviam pedido há semanas e enviei. Nada mais fácil. Sem pressão não funciono e até julgo que as palavras me saem melhor quando me sinto obrigada a escrever. Não sei quando sairá o livro mas lá estará o meu nome no prefácio, o meu nome num livro!

Entrada de mulheres em templo hindu provoca confrontos

Foi com muita incredulidade que vi a notícia dos confrontos na índia devido à entrada de duas mulheres num templo hindu. Claro que vivo muito distante destas realidades e foi por isso que fiquei tão indignada como chocada. Ora, o templo de Sabarimala, é dos poucos templos que não autoriza a entrada de mulheres entre a puberdade e a menopausa, sendo que em muitos templos, é proibida a entrada de mulheres durante o seu período menstrual. Na madrugada de quarta-feira, duas mulheres com menos de 50 anos entraram pela primeira vez naquele santuário, escoltadas por vários polícias, depois do Supremo Tribunal anular, em outubro, a proibição de entrada imposta às mulheres entre os dez e os 50 anos. Ora a visita das duas mulheres a este templo, provocou o seu fecho para que as autoridades procedessem à purificação do local e esta ação provocou manifestações entre a população. As manifestações já causaram um morto.
Tudo isto me faz pensar que estas religiões têm que repensar a forma como tratam o…

Roma | Alfonso Cuarón

"We are alone. No matter what they tell you, we women are always alone."


Há muito que não via um filme assim: introspectivo, que retrata as dificuldades das mulheres nos anos 70 além de ser um filme autobiográfico do próprio realizador, o mexicano Alfonso Cuarón, que evoca especialmente a ama da sua infância. Roma passa-se precisamente no bairro Roma, onde cresceu. Vencedor de um Leão de Ouro no Festival de cinema de Veneza, Roma pretende ser mais do que um mero filme. Aqui acompanhamos Cleo, a empregada doméstica desta família, que pouco ou nada expressa, parece não ter opiniões nem atitudes mas que sofre e vemo-la a expressar esse sofrimento lá mais para o final.