Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2018

Once Upon a Time - Season 2

Se  primeira temporada devorei em duas semanas, a segunda foi pelo mesmo caminho. Cheguei a ver 4 episódios em apenas 1 dia. Uma autêntica maratona. Esta temporada segue a linha da primeira, com muita acção e mistérios desvendados a cada episódio. Há muito que uma série não me prendia assim mesmo com imensas incongruências. Segue-se a terceira temporada. You go Emma!

Sobre a vida - ultimamente

Voltei a não ter tempo... nem paciência para escrever. Se antes fazia madrugadas agora, com a mudança de empresa onde trabalho, faço também noites e isso desgasta o organismo, ando trocada, chego do trabalho com um sono incrível e um cansaço físico e mental que exige descanso total. Nestes dias, dou prioridade àquilo que o meu corpo quer: relaxamento. E tem sido apenas isso. Sem stresses nem ansiedades. Apenas sol nos momentos de lazer e afastada de multidões.

Apresento Jay Shetty

Estou um bocadinho viciada em textos de auto-ajuda como os que a Sofia escreve no seu blog bem conhecido Às 9 no meu blog. Agora encontrei Jay Shetty e os seus vídeos que nos fazem pensar.

[Goose Grease]

Já há muito que não publicava aqui nada relacionado com arte, e já tinha saudades. Por isso, vamos retomar esta matéria por aqui. Hoje trago os bonecos de madeira da Goose Grease. Anna Leigh e Juan Carlos Donato gerem a loja e criam estes bonecos super adoráveis e até vendem miniaturas que podem er personalizadas à vossa vontade, aqui



Dicas dos maiores escritores para escrever!

William Faulkner – read to write“Read, read, read everything – trash, classics, good and bad, and see how they do it. Just like a carpenter who works as an apprentice and studies the master. Read! You’ll absorb it. Then write. If it is good, you’ll find out. If it’s not, throw it out the window.”

Se Faulkner nos aconselha a ler de tudo, a neo-zelandesa Katherine Mansfield diz-nos que escrever qualquer coisa é melhor que não escrever nada. Já Zadie Smith afirma que desligar a Internet nos vai ajudar. Ter um gato ajuda na tranquilidade, defende Muriel Spark, por exemplo. O artigo pode ser lido na íntegra no site  do Guardian, aqui.
Asa dicas estão todas aqui, portanto toca a escrever! Quanto a mim, o que funciona é comer chocolate. Uma tablete por dia, não sabe o bem que lhe fazia. Além de fornecer energia, porque é rico em calorias, melhoram a actividade cerebral e dá uma sensação de bem-estar =)


Katherine Mansfield – writing anything is better than nothing“Looking back I imagine I was al…

Save Water by Colgate

A poupança da água começa em casa e a Colgate pensou nesta causa como mais nenhuma outra marca. Esta é a minha marca dentífrica preferida, e se a troco temporariamente retorno sempre a ela. Por isso mesmo, encoraja os seus utilizadores a fechar a torneira enquanto lavam os dentes. Eu já o comecei a fazer, até porque sou muito distraída em relação a isto mas o pequeno logotipo "Save Water" presente nas suas embalagens não mo deixam esquecer. Vejam o vídeo e os conselhos abaixo...



Brush for 2 minutes twice a day, but turn off the faucetThe American Dental Association recommends brushing your teeth for two minutes twice a day. Turning off the faucet while brushing your teeth can save up to 3,000 gallons of water per year – that’s the equivalent of 50,000 glasses of water!


Reduce showers by 2 minutesReducing your shower by 2 minutes saves both water and energy. In one year, you can save up to 1,800 gallons of water and enough energy to power a 13-watt compact fluorescent light bul…

Diário de uma TTAE #17

aqui me pronunciei em relação à pergunta da praxe no aeroporto "Do You Speak English?", mas hoje foi o cúmulo... Depois de ouvir a pergunta várias vezes, especialmente vinda de norte-americanos, a vontade de responder é "e você, fala português"?, ou melhor "e você, quantas línguas fala?" Desconfio que apenas falam inglês e têm receio de não se fazerem entender, e o que eu gostaria de os "entalar" com uma resposta inesperada. "Querido, falo fluentemente inglês, além de falar a minha língua materna e outras línguas: espanhol, francês, um bocadinho de italiano, tenho bases de alemão que me permitem fazer check-in em alemão sem qualquer problema, e ainda mandarim, pois faço parte da equipa de uma companhia chinesa que opera em Portugal... E você, quantas línguas fala?". Peço, por isso, a todos os passageiros que me escutam que parem, por favor, de fazer esta pergunta. É absolutamente desnecessário... estamos numa aeroporto internacional, o…

Blogging Challenge #10

Best Trip of your life

Tenho uma viagem que guardo no coração num cantinho muito especial: a minha viagem a Barcelona. Foi, sem dúvida, a melhor viagem que fiz, numa altura muito especial. Foi tudo maravilhoso e depois foi a minha estreia a andar de avião, a primeira vez que verdadeiramente me afastei de casa. Sinto que foi ali que a vida deu uma volta, que fui uma Ana e voltei outra Ana. Uma Ana com uma vontade ainda maior de ver o mundo e com a certeza de que a felicidade é o caminho certo. Barcelona gravou-me, marcou-me como nenhuma outra viagem o fez. E embora tenha feito viagens muito boas, esta foi a que teve um encanto muito especial. E guardo-a porque é minha.

Blogging Challenge #9

What's in your bag / wallet?

Um mundo de tralhas. De qualquer das formas de que mala estamos a falar: mala da farda do trabalho ou mala pessoal que utilizo no dia a dia? Bem, a única diferença é que na mala do trabalho tenho, para além de um bloco de notas respeitantes ao trabalho efectivo, uma garrafa de água, uma data de canetas porque estou sempre a perder e a encontrar novas canetas, papelada velha que já tem a tinta das letras toda comida que mal dá para ler seja o que for, comida (normalmente é uma caixinha com chocapic mas há dias em que levo bolachas ou um iogurte líquido), eventualmente rebuçados perdidos e oferecidos por alguém, para além de toda a parafernália feminina que normalmente acrescentam um peso morto aos ombros ou às costas caso se trate de uma mochila. Seja como for, objectos identificáveis é o que abundam nestas minhas malas. Só coisas boas, portanto.

Blogging Challenge #8

5 Current Goals

Posso aqui falar de viagens e quais os meus próximos objetivos: Islândia. Um bocadinho complicado de cumprir devido ao facto de o país ser extremamente caro, o que não está ao meu alcance nos próximos tempos. Vejo a viagem à Islândia como um investimento no futuro. Não viável a curto prazo. Copenhaga. Depois de ter visto o filme "A Rapariga Dinamarquesa", fiquei com uma vontade louca de ir à Dinamarca. Para breve. Praga. Nem longe, nem perto. Ainda não fui porque as viagens são um bocadito caras mas assim que tiver oportunidade rumarei à cidade. Grécia. Um sonho antigo. Visitar Atenas e o Pártenon e as ilhas gregas. Não todas, algumas :) Um dia, eu sei. Gibraltar. A um passo de Portugal mas parece infinitamente longe. Já estive muito perto mas um problema no carro impediu-me de ir visitar esta pequena colónia britânica.

50 Shades Freed

Terceiro e último capítulo da saga 50 Sombras de Grey, e que direi eu de uma história em que li o primeiro livro e vi os dois filmes? Tinha que verificar como terminava o romance entre Grey e Anastasia. Se o segundo filme achei fraquinho, este já achei mais interessante. O sr. Grey continua um pedaço de mau caminho cada vez melhor, se o compararmos com a sua figura no primeiro filme. Agora sim, chamemos-lhe Senhor Grey, amadureceu e isso torna-o mais interessante à vista! A ação continua fracota (embora tenhamos perseguição, pedidos de resgate, ciúmes) mas não é isso que esperamos de um filme pseudo-erótico. Queremos é ver cenas calientes. E temo-las =) e são muito interessantes... os joguinhos entre o casal sensação são giros e fazem-nos rir de cumplicidade.
Até podemos fazer um exercício: dividir a história em duas partes ao gosto de cada um - a parte da ação, em que Anastasia é perseguida, e a parte do climax, da sensualidade. Temos aqui dois estilos que agradam tanto a homens como…

[Once Upon a Time]

Com algum tempo disponível antes de abraçar uma nova etapa a nível profissional, distraí-me com uma série de que já me haviam falado: Once Upon a Time. Em duas semanas despachei a primeira temporada e vou a caminho da segunda. Ora, a série mistura contos de fadas com o mundo real, mas o que é afinal a realidade? E aqui temos a vantagem de todos aqueles personagens que vêm da nossa infância: Pinóquio, Branca de Neve, Cinderela... se conhecerem todos e estarem todos interligados.... Incrível! É em Storybrook que tudo acontece, e a cidade parece estar debaixo de uma forte maldição: tudo porque nenhum personagem entra e nenhum personagem sai. Apenas Emma, a forasteira que chega à cidade e se vê envolvida em várias aventuras. Todos os episódios têm coisas para nos contar e ficamos mais perto da quebra do feitiço.
Há quanto tempo eu não via uma série? A última que vi foi "Brothers & Sisters" que passava na Sic Mulher e que eu conseguia ver a horas decentes antes de me enfiar num…

Blogging Challenge #7

Your 5 favourite songs

Nestemomento contam-se pelos dedos das mãos o que tenho ouvido...



Aldeia típica José Franco | Mafra

Conheço este local desde sempre e visito-o desde pequena. Muito brinquei aqui na Aldeia Típica de José Franco, no Sobreiro, em Mafra. E agora visito-o sempre que me lembro que preciso ir matar saudades. Desta vez, tinha a tarde livre e a proposta foi apenas esta: "E se fossemos ao José Franco?". Aproveitei, muni-me de máquina fotográfica e lá fomos.
Por lá andavam imensas famílias, crianças e até uma excursão de espanhóis. Comi um pão com chouriço - enooorme!, e continuei a aventura: agora existe por lá o Museu José Franco, que mostra as obras do ceramista, e uma loja onde podemos comprar artesanato.  
A magia, essa, continua a habitar o meu imaginário!














Blogging Challenge #6

What are you afraid off




Aquela pergunta cliché para uma resposta cliché: Perder quem gosto. Mas quero ir para além das respostas previsíveis e que toda a gente dá. Tenho medo de daqui a uns anos não estar satisfeita com a minha vida ou com o caminho que percorri. Para já estou muito orgulhosa dos meus feitos mas por outro lado tenho receio de arriscar (quem nunca?) e trocar o porto seguro por algo mais on the edge. Sinto falta de arriscar mais, sair da zona de conforto. Mas se não tentarmos também não chegamos a lado nenhum.
Devemos sempre, por isso mesmo, arriscar, manter o foco e confiar. Confiar que vai correr bem e que vamos conseguir atingir as nossas metas. E acreditar. Acreditar que vamos conseguir.