Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Março, 2018

[Post aleatório]

... e depois, em busca de algo que me inspire esbarro com textos destes, e fico a desejar escrever tão bem como esta miúda.
"O meu amor não será nada do que imaginas, mas será o que quiseres. Não vou precisar de flores ou chocolates, não vou querer grandes surpresas, mas se assim for, tanto melhor. Só quero que me fales quando não conseguir controlar os nervos e parecer pior que uma grafonola, que me fales baixinho ao ouvido quando os meus olhos vidrarem no silêncio, que grites comigo quando quiseres dizer que me amas. [...] Só quero que me sorrias, que me queiras ver sorrir, que me peças um sorriso ao invés de um beijo [...]"
In Incontro-verso.blogspot.pt

Blogging Challenge #5

Your Proudest Moment


Sou um bocadinho medricas por isso tenho que eleger um episódio muito específico em que ultrapassei o meu medo. Foi na Isla Magica, em Sevilha, há dois anos, em que me propus andar na diversão El Desafio, ou seja, trata-se de uma Torre com 68 metros que recria queda livre - descemos a mais de 60 km/h, e repetimos a dose por três vezes. Fui acompanhada por um amigo e só ele sabe a pilha de nervos em que eu estava. Foi absolutamente terrível: queria desistir, gritei que nem uma louca e agarrei-me ao banco cheia de medo. No final, saímos os dois a tremer de excitação e a rir às gargalhadas: tínhamos conseguido! Mas ultrapassei o receio, sentei-me e lá fomos. Destaco assim de caras o momento de que mais orgulho tenho =)



Blogging Challenge #4

Your Dream Job


O meu emprego de sonho já o tive: trabalhar numa redação. Depois, claro..., com o avançar da vida e com o crescimento pessoal, os sonhos vão-se alterando. Mas trabalhar num redação permitiu-me fazer todos os dias aquilo de que gosto: escrever. Além disso, pagavam-me para escrever! Mas o sonho maior que me tem acompanhado há já vários anos seria o ser escritora. Esse era o meu maior sonho, cheguei a escrever uns esboços de umas histórias, comecei a escrever um livro quando era miúda sobre um rapaz vampiro, que nunca cheguei a terminar. Mas para conquistar esse sonho, a escrita teria que ser persistente e concisa, coisa que não é e, de momento, não tenho nenhuma ideia de escrita, quanto mais de um livro! Mas sim, este poderá ser o meu emprego de sonho.

[Wildes]

Oh my god, Oh my god, Oh my god... Encontrei uma banda muito fixe!!! Apresento-vos Wildes, uma banda australiana e o canal IndieAir do Youtube é viciante para quem, como eu, gosta deste tipo de música...

Blogging Challenge #3

Your Favourite Quote


Esta frase foi publicada no início do livro "A Viagem do Elefante" de Saramago (edições Caminho, Leya) e lembro-me de a ter escrito num dos meus blocos de nota para que não me esquecesse dela. E na verdade ela acompanha-me porque acredito na ideia que transmite. Gosto de pensar que apesar do constante esforço, da luta para chegar a algum lado e ter sucesso, hei-de lá chegar porque esse é o meu caminho. Um dia irei sentir-me realizada totalmente, irei pensar que atingi os objectivos que fui traçando e que a luta para conquistar as minhas metas foi bem sucedida. É preciso persistência. Tenho o exemplo perfeito: quando voltei a estudar tinha como objectivo trabalhar com crianças: objectivo cumprido. Mais tarde, meti na cabeça que queria trabalhar no aeroporto: missão cumprida com tanto sucesso que agora vou assinar contrato com a empresa de handling que faz o serviço de terra da companhia aérea bandeira de Portugal. E assim sucessivamente, objectivo atrás de o…

Blogging Challenge #2

20 Facts about you
Ora aqui está um desafio verdadeiramente difícil. Quando li o desafio do dia pensei: "que raios é que vou dizer sobre mim, em 20 alíneas?", aquelas coisas básicas do género "sou gulosa", não interessam a ninguém, por isso tentei dar a volta à questão com alguns episódios engraçados...

1) Caí de um carrinho de supermercado quando era miúda. Tinha por hábito andar ali dentro e numa distração dos meus pais e pelo simples facto de me terem deixado no meio do corredor, estico os braços para chegar às prateleiras... Pumba! (esta é a versão da história de que me lembro, não sei se está correcto ou não....)
2) Tive uma tartaruga chamada Sirene (já não me recordo como é que lhe arranjámos este nome), que adorava esticar-se sobre a luz do candeeiro, mas também adorava escapulir-se do aquário. Uma vez não estava ninguém em casa e quando reparámos, a Sirene já lá não estava. Procurámos e nada. Anos mais tarde, os meus pais encontraram-na ou à carapaça, atrás de…

Chalet e Jardim da Condessa D'Edla | Sintra

"Na segunda metade do século XIX, D. Fernando II e a sua futura segunda mulher, Elise Hensler, Condessa d’Edla, criaram no Parque da Pena um Chalet e um Jardim de caráter privado e sensibilidade romântica, espaço de refúgio e recreio do casal. Localizado de forma estratégica a poente do Palácio da Pena, o edifício segue o modelo dos Chalets Alpinos, então em voga na Europa."
É assim que caracterizam este espaço no site dos Parques de Sintra e foi aqui que passei um Domingo inteiro: a explorar o espaço. Visitei não só Chalet como o Jardim que por sua vez dá acesso aos Jardins e Terraços do Palácio da Pena. Andei quilómetros, subi e desci, trepei, descansei.... Fiz mil e uma coisas e voltaria a repetir tudo, porque é impossível cansarmo-nos deste espaço. 





Blogging Challenge #1

Your Blog's name

Já escrevo em blogs há muitos, muitos anos mas este é o que permanece há mais tempo no mundo virtual. Quanto ao seu nome já falei sobre isso aqui, num post de 2013! (Uau, já tem 5 anos). Descobri o livro "Adivinha o quanto gosto de ti", li-o, admirei as suas ilustrações, reli-o e arquivei-o no meu coração (e no meu blog). Ainda não o comprei, ele esteve esgotado durante uma série de tempo, e sei que o hei-de ter numa estante, brevemente. Faço questão de ter os livros que adoro, sejam infantis ou não, junto a mim. Gosto de pegar neles quando me apetece e voltar a ler as suas páginas, ou apenas algumas passagens. Mas o que hoje aqui me traz é o meu novo desafio: o Blogging Challenge e o primeiro tema: Your blog's name. O Gosto de ti daqui à Lua, deve-se então a este livro infantil. Em 2013, quando o criei, andei à procura de um nome com o qual me identificasse e esta frase lá me pareceu perfeita para as minhas intenções. Tão perfeita que o blog continua a…

Coming soon...

*

* Por isso, muitas vezes pergunto: será amor ou habituação?

[Car talk]

Nós não conseguimos ser tão patrióticos como os espanhóis: eles dobram filmes e novelas, traduzem à letra nomes de grupos musicais, produzem carros e os seus modelos têm nomes de cidades ou regiões espanholas. Estou a lembrar-me do caso da Seat:  Ibiza, Córdoba, Alhambra, Toledo, Málaga, Marbella, Leon, Arona... Não me lembrei deste facto por acaso: eu seguia de mota numa destas estradas portuguesas e reparei num Seat Córdoba bem antigo que também por ali circulava. E isso fez-me pensar nos modelos da marca... E isso fez-me pensar que não somos nada patrióticos: bem... temos uma água com a marca Luso, isso conta? Falando da Seat, ainda no ano passado decorria um concurso de seleção do nome do novo SUV da marca. O concurso seguia os trâmites normais: os fãs  logavam-se, votavam e o nome com mais votações ganhava. O nome Tarraco (em Portugal, traduzimos como Tarragona) foi o eleito e é o primeiro nome da marca a ser escolhido por votação e o décimo quarto topónimo espanhol como modelo au…

[Make a wish]

Comprei há uns tempos um pijama que, para além de trazer a costumeira etiqueta, trazia também um cartãozinho pequenino com letras prateadas que dizia: "Make a Wish". Guardei o cartão por ter-lhe achado piada e coloquei-o na secretária onde tenho o computador, vários cadernos, etc...
Olho para o cartão todos os dias, porque está bem à vista e nunca refleti  muito acerca dele ou da mensagem que traz. Acho-o apenas giro =) Mas ao ligar o computador e abrir o Blogger, decidi escrever umas breves linhas acerca deste cartão que me acompanha os passos de há umas semanas para cá mal me sento à secretária. Conhece-me os hábitos e os tiques: sabe que tenho uma caneta com estrelas que adoro, um chocolate branco por perto, a máquina fotográfica sempre carregada, uma garrafinha com bolinhas de sabão (sabem lá o quanto eu gosto de bolinhas de sabão!), a mala pendurada na cadeira... Enfim, aquelas coisas que só a própria pessoa sabe. E no meio disto tudo surge a mensagem "make a wish&q…

Scooter

Ando à pendura de motascooter, há tempo suficiente para saber os truques: acelerar, travar, onde nos devemos posicionar na faixa de rodagem, etc. Já tinha experimentado conduzi-la mas o receio toldava-me os sentidos e desistia à primeira aceleradela. Hoje foi o dia de aprender de uma vez por todas a aprender a conduzi-la e é com orgulho que informo que consegui! Dei várias voltas ao parque de estacionamento muito devagar, a maioria do tempo a ajudar com os pés no chão, e consegui equilibrar-me e à medida que a máquina acelera, ganhamos estabilidade, e depois é como se estivéssemos a andar de bicicleta. Conduzir uma scooter não tem grande ciência: basta acelerar e travar. Tudo o resto é mais complicado: andar no trânsito. Mas para já não me atrevo.

Eu e o ginásio

A iniciativa partiu de mim: "E se amanhã fossemos contigo ao ginásio?"... Invariavelmente a resposta foi: "de certeza? Queres mesmo ir ao ginásio?"
E lá fui no dia seguinte, às 07:00, cheia de determinação e a pensar: se gostar meto-me nesta brincadeira para mexer estes ossos. Pois... Aquele ginásio tem 3 pisos e uma pessoa fica entusiasmada por conhecer o espaço, depois é que começam os problemas. 20 minutos de bicicleta, 10 de passadeira, mais uns exercícios a fingir que levantava pesos e mais uns de crossfit com umas cordas e pronto... Saí de lá meio morta e a desejar nunca ter metido os pés naquele antro de maldição, mas agora passadas cerca de 8 horas desde que saí de lá, até me apetece regressar. No entanto, não para já. Tenho uma bicicleta estática e vou à natação cerca de duas vezes por semana. Não estou assim tão mal. Valeu pela boa disposição! Obrigada C :)

É primavera...

Um passeio a meio da tarde para dar as boas-vindas à primavera. Máquina pendurada ao pescoço, mochila às costas e fotografias a preto e branco, a minha nova descoberta. Fica o registo do equinócio da primavera.




[I Need This Girl]

Quando te convences cada vez mais que caíste na rotina e que as coisas já não são o que eram ainda ouves: "Esta música é tua, foi feita para ti". E ficas com um sorriso bobo na cara e continuas a sonhar.
"Cada beijo sabe sempre O último e primeiro Quando a abraço Abraço o mundo inteiro [...] Ela é brisa no verão E brasa no inverno Santuário de paixão Lá dentro eu hiberno E se eu penso ela fala Minha dama, minha tropa Ninguém me topa, como ela me topa"

Das músicas bonitas...

"Tu é trevo de quatro folhas
É manhã de Domingo à toa
Conversa rara e boa..."

Coisas que leio e de que gosto...

Não conhecia o blog da Fátima Lopes (a apresentadora da TVI), esbarrei com ele enquanto percorria blogs e lia alguns textos e deparei-me com este texto simplesmente maravilho e tão mas tão verdadeiro.

Filmes de fim de semana

Breathe

Bonito filme baseado numa história real. Um comerciante inglês contrai poliomielite, fica paralisado e vê-se obrigado a reaprender a viver. A sua mulher, Diana é o elo forte que o ajuda a superar a sua nova condição de vida. Um filme enternecedor que não nos deixa ficar indiferentes. O amor entre Diana e Robin traz-nos umas quantas lágrimas, garanto.
My love. My life :)

Jumanji: Welcome to the Jungle

Mais divertido que isto é impossível! Juro que passei o filme todo a rir à gargalhada. Quem viu o primeiro filme de Jumanji com o Robin Williams, vai gostar deste, certamente.

Shape of Water

Nhe. Nada a dizer. É do Guilhermo del Toro, de quem aprecio os seus filmes mas este Shape of Water não me convenceu por aí além. Vencedor do óscar de Melhor Filme 2018, mas nem por isso o transforma num filme inesquecível.

[work]

Há um rapaz no meu trabalho, o N., que é a boa disposição em pessoa. É impressionante a alegria que ele emana diariamente. Adoro estar no check-in ao lado dele um par de horas porque é impossível não nos sentirmos contagiados. Conheci-o no seu primeiro dia de trabalho, estávamos a embarcar um Londres e a retirar bagagem. Gostei tanto de trabalhar com ele em equipa que isso nos aproximou e hoje brincamos com tudo. Obrigada Nilton (tenho que dizer o teu nome, porque gosto mesmo de ti e ainda hoje te disse que te adorava e que quando eu for viajar tens mesmo que ser tu a fazer o meu check-in, és o derradeiro TTAE deste aeroporto). Obrigada pelas gargalhadas, pela animação e pelas tuas palavras sábias. És um jovem mas tens uma cabeça muito adulta.
E a tua pergunta preferida, com a maior das descontrações: "tem explosivos, líquidos inflamáveis ou granadas de mão na sua bagagem de porão?"

Labellino

Tenho 4 batons da Labello no meu necessaire da mala do trabalho. Quatro. E quatro porque gosto de variar e de experimentar as diferentes versões deste baton. O último que comprei foi o Labellino. Mal o vi nas estantes do supermercado, namorei, fui para casa e uns dias a seguir fui lá buscá-lo. É caro, sim. Custa perto de 5 euros mas tem uma embalagem fofinha. Em Portugal saíram apenas duas versões: menta (embalagem azul) e framboesa (embalagem rosa). Comprei o de menta por achar a embalagem mais ternurenta: Azul clarinho. Fora de Portugal existem mais sabores e mais cores. Mas no site da marca podem encontrar a coleção completa :)

"Os Miseráveis"

Tem meia-dúzia de anos mas ainda não o tinha visto. É um musical e ao ver imagens dele, não tinha grandes expectativas e afinal revelou ser um grande GRANDE filme. Não conhecia a história criada pelo escritor Victor Hugo, não havia visto o trailer... Nada de nada. Apenas sabia que tinha 2 horas e meia (um filme demasiado longo tem tendência a cansar-me) e era cantado. Totalmente cantado e esse é o verdadeiro desafio de contar esta história épica. Além disso, tem um elenco brilhante e a cena da Anne Hathaway é arrepiante. Não tenham medo das duas horas e meia do filme. Apreciem-no e desfrutem-no. Certamente não haverá outro musical assim.

Sufjan Stevens

Apaixonei-me. Vi o filme "Call me by your name" que já aqui falei no blog e apaixonei-me pela banda sonora. A história é acompanhada por esta voz melancólica, sussurrante, que nos entra nos ouvidos e que mexe connosco. O norte-americano Sufjan Stevens é o responsável por esta minha recente paixão. E a cena final é absolutamente heartbreaking acompanhada pela voz do Sufjan, é qualquer coisa de arrepiante. O filme não ganhou o Óscar de melhor filme (mas venceu o Melhor Argumento Adaptado... mas claro, já desisti de me pronunciar sobre este tipo de prémios) e quanto a mim ganharia o prémio de filme mais enternecedor. Gostei. Mas gosto mais agora, passada uma semana de o ter visto. Fiquei com um carinho especial pela história e pela música.
How much sorrow can I take?
Blackbird on my shoulder
And what difference does it make
When this love is over?
Shall I sleep within your bed
River of unhappiness
Hold your hands upon my head
Till I breathe my last breath



I have loved you for the last ti…