Avançar para o conteúdo principal

despedidas


Trabalho há oito meses no aeroporto e a verdade é que aquele glamour que eu associava sempre às 'meninas" de check-in desvaneceu-se. Primeiro porque, eu sou "menina" de check-in e depois porque de glamour não tem nada e hoje pergunto-me como é que eu era capaz de encontrar glamour na simples tarefa de despachar bagagem para o terminal de bagagens e colocar etiquetas em malas. Claro que o trabalho no check-in não se resume a apenas isso. Até porque temos uma preparação de dois meses intensivos para desempenhar tal tarefa. Por aqui já se vê a dor de cabeça que é estar num check-in. Depois continuo a achar entusiasmante as despedidas e os reencontros. Famílias que não se veem há anos, casais enamorados que se preparam para viverem sob de uma longa distância, avós que deixam os netos, pessoas que vão a funerais noutros países... Enfim, milhares de histórias reais que passam diante dos nossos olhos... e essa é a parte gira deste trabalho.
Além disso, gosto particularmente de ver passaportes oriundos de países longínquos... Maldivas, Hong Kong, Trinidad e Tobago, Cuba.... Já me passou muita coisa pelas mãos... E continua a fascinar-me toda a experiência que estes "meus" passageiros possuem.
Fascinam-me também os islandeses embora não os considere particularmente simpáticos, deve ser o meu fascínio pela aurora boreal que me faz gostar deles...

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Countdown

O antes e o depois de uma viagem. O entusiasmo, a expectativa do desconhecido, o querer aventuras...
Faço uma viagem por ano para fora do país e estou a 24 horas de voltar a meter os pés dentro de um avião. Ok, trabalho no aeroporto e quase todos os dias entro dentro de aviões. Mas desta vez, e pela primeira vez desde que aqui trabalho, vou mesmo viajar.
E amanhã estarei atenta ao trabalho das colegas na Porta de Embarque.
Nantes aí vou eu, e prepara-te que farei aí 35 anos :-)

Eu e as redes sociais OU como já não tenho paciência para elas

Tenho Facebook, já tive Twitter, tenho conta no YouTube, tenho WhatsApp e vou activando e desactivando o meu Instagram. O Instagram é a minha relação com redes sociais mais complicada. Criei a minha conta do Insta em 2014 e desde aí tornei-me bastante activa na publicação de fotos, especialmente de fotos de viagens que fui fazendo. Depois comecei a seguir demasiadas contas e isso distraía-me demais e perdia imenso tempo a ver fotografias de tudo e mais alguma coisa. Algures em 2017 desactivei a conta durante uns meses. Quando fui de viagem nesse ano, voltei a activá-la e ia publicando algumas fotos. Depois disso cancelei-a novamente e há uma semana por insistência de algumas colegas minhas do aeroporto activei-a porque elas haviam partilhado fotos comigo e eu queria estar a par. Hoje apaguei-a novamente. Se o Instagram me foi importante numa determinada altura da minha vida, hoje já não me traz qualquer prazer. Sinto que perco tempo a ver fotos de outras pessoas, que na realidade não me…

Adeus Natal

Ontem foi Dia de Reis, e com ele desfazem-se árvores de Natal, retiram-se as luzes e todas as decoracões. Termina a época dos doces em exagero e dizemos também adeus às músicas natalícias.
Ontem não toquei em nada porque queria gozar esta época até à última oportunidade mas hoje acordei com uma vontade férrea de reorganizar a minha casa.  E assim foi.
Foi rápida a arrumação  e ver a casa toda limpa e organizada conferiu-lhe um ar fresco.
No final do ano há mais!