Avançar para o conteúdo principal

Diário de uma TTAE #12



Trabalhar no aeroporto faz-nos pensar em muita coisa má. Estou aqui já há alguns meses e já vivi ameaças de bomba em que estávamos barricados dentro da zona internacional e ninguém podia nem entrar nem sair.

Ja vi malas abandonadas nos cantos em que o staff do aeroporto é obrigado a chamar a polícia 👮.
Acho que não há um dia em que não pense que isto vai rebentar. Mesmo com todas as medidas de segurança que existem, e são muitas, nunca estamos seguros. Até um passageiro que faz uma viagem cruzando continentes estranhamos se não despachar qualquer bagagem e partilhamos a nossa desconfiança com os supervisores. Aqui estamos constantemente alerta. 
As mãos são constantemente limpas, dedos nos ouvidos e olhos é coisa que evitamos. Nunca estamos sossegados mas acabamos por nos habituar a esta vida, completamente ao contrário do resto do mundo. Madrugadas é coisa que não nos faz confusão. Acordar às 02h ou às 03h da manhã para ir trabalhar e almoçar ainda não bateram as 09h no relógio é coisa a que o organismo eventualmente se habitua. Dormimos ao contrário dos outros e há quem não perceba esta vida. Não faz mal. Cá estamos e gostamos. Perdemos muita coisa mas ganhamos tantas outras... A aviação é qualquer coisa...

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Countdown

O antes e o depois de uma viagem. O entusiasmo, a expectativa do desconhecido, o querer aventuras...
Faço uma viagem por ano para fora do país e estou a 24 horas de voltar a meter os pés dentro de um avião. Ok, trabalho no aeroporto e quase todos os dias entro dentro de aviões. Mas desta vez, e pela primeira vez desde que aqui trabalho, vou mesmo viajar.
E amanhã estarei atenta ao trabalho das colegas na Porta de Embarque.
Nantes aí vou eu, e prepara-te que farei aí 35 anos :-)

Eu e as redes sociais OU como já não tenho paciência para elas

Tenho Facebook, já tive Twitter, tenho conta no YouTube, tenho WhatsApp e vou activando e desactivando o meu Instagram. O Instagram é a minha relação com redes sociais mais complicada. Criei a minha conta do Insta em 2014 e desde aí tornei-me bastante activa na publicação de fotos, especialmente de fotos de viagens que fui fazendo. Depois comecei a seguir demasiadas contas e isso distraía-me demais e perdia imenso tempo a ver fotografias de tudo e mais alguma coisa. Algures em 2017 desactivei a conta durante uns meses. Quando fui de viagem nesse ano, voltei a activá-la e ia publicando algumas fotos. Depois disso cancelei-a novamente e há uma semana por insistência de algumas colegas minhas do aeroporto activei-a porque elas haviam partilhado fotos comigo e eu queria estar a par. Hoje apaguei-a novamente. Se o Instagram me foi importante numa determinada altura da minha vida, hoje já não me traz qualquer prazer. Sinto que perco tempo a ver fotos de outras pessoas, que na realidade não me…

A Amiga Genial | Elena Ferrante

Entediante, enfadonho, repetitivo. É assim que descrevo o primeiro livro da tetralogia da autora italiana que esteve nos tops de vendas.
Ouvi falar tanto destes livros, vi tantas vezes os ditos nas mãos de inúmeras pessoas, li várias criticas sempre favoráveis que a curiosidade foi crescendo. E, numa fase em que leio mais que nunca, comprei-o (sempre com a ideia de ler os 4 livros)... Como estava enganada. A Amiga Genial retrata a vida de duas amigas napolitanas e os seus episódios desde a infância até à juventude. Se acho que Ferrante tem uma escrita genial como muitos leitores apregoam? Não acho mas eu sou suspeita: gosto de ler Gabriel Garcia Marquez que me habituou a uma narrativa irrepreensível, por isso aqui não fiquei deslumbrada e esta obra não me aguçou o apetite para os restantes livros. Não percebo por isso o boom que esta saga teve porque a narrativa é bem confusa com tantos personagens, embora tenhamos uma lista de personagens logo no início. Não me fascinou e por isso desco…