[Crónica de uma corredora de 1ª viagem]

Esta manhã corri aí uns 3 km e dou-me completamente esgotada. Corri desde o parque de estacionamento junto ao sapal mesmo ao lado da Ponte Vasco da Gama até ao Oceanário. Corri, quis desistir a meio, andei aí uns 5 metros e o meu companheiro começou logo a puxar-me para eu dar à pernas. Não acho piada nenhuma a correr, nenhuma mesmo. E quando digo nenhuma não estou a ser engraçada. Correr não tem graça mas quem corre sabe que está a dar o seu melhor e sabe que vai vencer os seus próprios limites. Hoje excedi os meus. As dores nos músculos fizeram-se sentir como nunca e o joelho esquerdo não estava nos seus melhores dias. Mas lá fui, desde o estacionamento até à porta do Oceanário. O regresso foi muito mais complicado. Andei em passo rápido a maioria do percurso e se corri 500 metros foi muito. Estava esgotada. Ainda estou mesmo tendo passado tantas horas. 
Correr só é giro em teoria porque quando lá estamos queremos desistir. E desistir para um corredor é um autêntico fracasso, por isso muitas vezes a minha mente só me diz: "Força Ana, tu consegues"...

Comentários