Avançar para o conteúdo principal

"Que mal fiz eu a Deus?"

Imaginem que têm 4 filhas e todas elas casam com homens de diferentes nacionalidades. Agora misturem um israelita, um judeu, um chinês e um africano... Dá confusão certamente. No filme "Que mal fiz eu a Deus" é isso mesmo que acontece. Trata-se de um afamília francesa muito tradicional católica que sonha que a última filha se case com um homem igualmente católico. Passam todo o filme a tentar perceber que mal fizeram para merecer toda esta confusão. Marie, a mãe, entra em depressão e o pai, Claude, tenta sabotar o seu próprio casamento.
Trata-se de uma comédia, e posso adiantar que há cenas de chorar a rir.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Countdown

O antes e o depois de uma viagem. O entusiasmo, a expectativa do desconhecido, o querer aventuras...
Faço uma viagem por ano para fora do país e estou a 24 horas de voltar a meter os pés dentro de um avião. Ok, trabalho no aeroporto e quase todos os dias entro dentro de aviões. Mas desta vez, e pela primeira vez desde que aqui trabalho, vou mesmo viajar.
E amanhã estarei atenta ao trabalho das colegas na Porta de Embarque.
Nantes aí vou eu, e prepara-te que farei aí 35 anos :-)

Eu e as redes sociais OU como já não tenho paciência para elas

Tenho Facebook, já tive Twitter, tenho conta no YouTube, tenho WhatsApp e vou activando e desactivando o meu Instagram. O Instagram é a minha relação com redes sociais mais complicada. Criei a minha conta do Insta em 2014 e desde aí tornei-me bastante activa na publicação de fotos, especialmente de fotos de viagens que fui fazendo. Depois comecei a seguir demasiadas contas e isso distraía-me demais e perdia imenso tempo a ver fotografias de tudo e mais alguma coisa. Algures em 2017 desactivei a conta durante uns meses. Quando fui de viagem nesse ano, voltei a activá-la e ia publicando algumas fotos. Depois disso cancelei-a novamente e há uma semana por insistência de algumas colegas minhas do aeroporto activei-a porque elas haviam partilhado fotos comigo e eu queria estar a par. Hoje apaguei-a novamente. Se o Instagram me foi importante numa determinada altura da minha vida, hoje já não me traz qualquer prazer. Sinto que perco tempo a ver fotos de outras pessoas, que na realidade não me…

Nívea "Fairy Tales"

Toda a gente tem uma lata de creme nívea em casa, aposto! Eu tenho, sempre tive, a minha mãe sempre comprou e nós sempre usámos. É dos cremes mais gordurosos que podemos usar e é absolutamente intemporal. Agora a marca presenteia-nos com as latas mais amorosas de sempre. A coleção chama-se "Contos de Encantar" com ilustrações do artista Joelle Tourlonias. E bem como o lançamento desta edição limitada, a nívea lançou no seu site vários contos do autor Udo Weigelt, que estão disponíveis aqui. Garanto que as histórias e as ilustrações são do mais fofinho que há. Só é pena estarem apenas no universo digital porque eu gostaria de ter esta compilação em livro físico. E claro, não podemos esquecer as vantagens de ter esta latinha em casa: Cuidado intensivo e protector. Fórmula de hidratação intensiva. Ideal para uso diário em todas as zonas da pele. Quanto a mim, assim  que "botei" os olhos nestas latinhas, tive que trazer uma para casa, são colecionáveis e dão para guardar bi…